Por onde anda Rondon?

Um circuito Rondon

A retomada do Projeto Rondon, em 2005, orienta-se pelo mesmo espírito de troca e conhecimento de brasis ocultos, que permanece como exemplo de espírito rondoniano. O próprio Exército Nacional elaborou uma declaração, em 2003, de como se portar na relação com os povos indígenas. São heranças do profundo respeito e do reconhecimento de Rondon aos direitos desses povos. Vale citar episódios recentes, como a devolução de terras a cinco etnias indígenas na região de Raposa do Sol (uma área de mais de 1,7 milhões de hectares em Roraima), além do cordão de proteção desenvolvido pela FUNAI para proteger os Zo´é (área de Cuminapanema, no Pará) do contato (inclusive com outras tribos já sob influência de missões religiosas).