O bom combate

Rondon, por diversas vezes, provoca polêmica na defesa dos seus princípios em prol de um Estado laico e reacende a discussão sobre a necessidade republicana, na qual nenhuma religião deve predominar. Apesar dessa posição, as contradições políticas dentro do Estado o levam, como chefe do SPI, a ordenar despesas que garantam a continuidade do trabalho educacional dos Salesianos frente a algumas etnias.

Dentre as turbulências com a Igreja Católica, os confrontos com missionários salesianos são as mais constantes. Rondon critica a aproximação sem maiores cuidados com os povos indígenas, a contaminação por doenças e a descaracterização de suas culturas originais (algo que já acontecia brutalmente com a exploração das riquezas naturais pelos fazendeiros).

Grupo de índios e salesianos na Colônia do rio das Garças, 1908 | Acervo Museu Histórico Nacional
Grupo de índios e salesianos na Colônia do rio das Garças, 1908  |  Acervo Museu Histórico Nacional
Zoom