Devolução das pérolas

Uma prova da sua radical vida de servidor público e da sua austeridade está no episódio em que Rondon, depois de atingir o rio Madeira, recebe homenagem na Associação Comercial de Manaus. Na ocasião, tentam oferecer um colar de pérolas à sua esposa. Rondon recusa:

Não é, entretanto, possível à minha esposa, esposa de um simples oficial, usar as pérolas de um tão valioso colar, em desacordo com o nosso modesto padrão de vida. Aceitai-o, pois, de novo, com os meus mais comovidos agradecimentos.

(FREITAS, 2001: 133)