O início dos fios e da trama

Em 23 de dezembro de 1889, é nomeado Ajudante do major Antonio Ernesto Gomes Carneiro (que desejava um ajudante de Mato Grosso) na Comissão Construtora de Linhas Telegráficas de Cuiabá ao Araguaia, provavelmente por indicação do coronel Amarante, de quem Gomes Carneiro era amigo. Rondon partiu para Mato Grosso em 6 de março de 1890. Passa a 1.° Tenente de Estado Maior de Primeira Classe. A promoção, fruto de medida sugerida pelo Engenheiro Militar Serzedelo Correia, beneficiou a todos os participantes na República, na qual Rondon tomara parte como elemento de ligação entre Marinha e Exército, comandando a 4.ª seção da 4.ª Bateria do 2.° Regimento de Artilharia, sob a liderança do capitão Hermes da Fonseca.

Rondon, segundo à esquerda, e expedicionários na colônia de Sangradouro | Museu do índio/Funai
Rondon, segundo à esquerda, e expedicionários na colônia de Sangradouro  |  Museu do índio/Funai
Zoom

Logo, em 1891, assume a chefia da Comissão na ausência de Gomes Carneiro, passando-a posteriormente ao capitão Assunção, que chefiaria a linha telegráfica como Inspetor de Primeira Classe dos Telégrafos. Em 1892, solicita exoneração da função de professor. É nomeado chefe do distrito telegráfico de Mato Grosso e promovido, por merecimento, a capitão do Corpo de Engenheiros Militares. Antes, no entanto, teve de que refazer toda a linha telegráfica para substituir o fio de cobre de 2,5 milímetros de espessura pelo fio galvanizado de 5 milímetros.